Avança negociação para Marc Jacobs substituir Galliano na Dior

As negociações para Marc Jacobs substituir John Galliano como diretor criativo da Maison Dior estão avançadas, segundo informações publicadas nesta segunda-feira pelo site WWD.

Bernard Arnault, presidente da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, estaria disposto a retirar Jacobs da Louis Vuitton, carro-chefe do conglomerado de grifes de luxo sob o comando da holding, para alavancar a marca sem estilista desde março, quando Galliano foi dispensado após ter ofendido com ideias nazistas um casal num bar
de Paris.

Para substituir Jacobs na Louis Vuitton, o principal nome cogitado é Phoebe Philo, à frente da Celine, também da LVMH, que tem apresentado um trabalho elogiadíssimo com uma pegada minimalista e superchique.

Segundo fontes do WWD, a ida de Jacobs não está totalmente acertada, mas ambas as partes estão em negociações avançadas. Jacobs está na Louis Vuitton desde 1997 e, desde então, conseguiu renovar a grife criada em 1854, mantendo sua essência de produzir acessórios de couro, como bolsas e malas entre as mais desejadas pelos consumidores, exibindo seu inconfundível logotipo.

Jacobs e seu sócio de longa data Robert Duffy têm contratos de longo prazo com a LVMH, também proprietária da Marc Jacobs International. Considerado fundamental para qualquer negócio, segundo o WWD, Duffy estaria incluído no pacote de Christian Dior caso Jacobs assuma a Maison. Nem representantes da Dior nem de Marc Jacobs comentaram o assunto com o site. Pelo grupo, a decisão pelo nome do sucessor de Galliano passa também por Sidney Toledano, diretor executivo da Dior e por Delphine Arnault, vice-diretora da Dior.

Bernard Arnault já teria sugerido o nome de Jacobs para a Dior como substituto de Gianfranco Ferré em meados dos anos 90, antes de acertar com John Galliano, então estilista da Givenchy, que assumiu o cargo em 1996. “Se eu tivesse contratado Marc Jacobs para a Dior
e John Galliano para a Louis Vuitton, a decisão não teria funcionado tão bem para ambas as marcas, mesmo sendo ambos gênios ao seu estilo”, disse Arnault ao WWD em 2003.

Desde a saída de Galliano, vários outros nomes já haviam sido cogitados para substituí-lo: Alber Elbaz, da Lanvin; Nicolas Ghesquière, da Balenciaga; Sarah Burton, da Alexander McQueen; Haider Ackermann e Hedi Slimane. Nenhum chegou a um acordo. Outro com forte potencial para assumir o cargo, caso as negociações com Jacobs não se concretizem, é Riccardo Tisci, da Givenchy, também pertencente ao grupo e que tem a simpatia de Delphine Arnault.

As cartas estão jogadas, e Jacobs realmente seria um nome
excelente para tirar a Dior da turbulência a que foi jogada nos últimos meses. Lembrando que o último desfile de alta-costura, desenhado por Bill Gaytten, assistente de Galliano de longa data, foi muito criticado pela imprensa.

Rosângela Espinossi

Copyright © 2011 Terra. Todos os direitos reservados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s